Adolescente atropelada no Norte do ES pede ajuda para tratamento

0

Antes do acidente, Reidna estudava e era integrante do grupo de louvor da Igreja Maranata. Hoje, a adolescente tem poucos momentos de alegria, já que sente dores a maior parte do dia

Reidna da Silva Neres de Oliveira teve fratura no fêmur, quadril e a parte da genital. Aos 17 anos, a adolescente passa os dias em cima de uma cama e sente muita dor. Os gritos são diariamente presenciados por vizinhos

BOA ESPERANÇA (ES) – Reidna da Silva Neres de Oliveira, 17 anos, precisa de ajuda financeira para custear consulta, exames e cirurgia. Atropelada por um ônibus escolar em agosto do ano passado, a esperancense necessita de um médico especialista em traumatologia, que de acordo com a família, o atendimento é em Vitória e na rede particular. Não tendo dinheiro para pagar as consultas, os familiares fazem um apelo à população, para que possa ajudar a adolescente.

Estando acamada desde que o veículo passou por cima dela no centro de Boa Esperança, Reidna teve o fêmur quebrado, todos os ossos que envolvem a região genital e quadril. É o que revela a tia da jovem, Flaika Vergueiro da Silva. “Ela agora precisa fazer procedimentos para reconstituição de ossos, cartilagem e próteses. Minha sobrinha vive em cima da cama, não anda, não faz nada sozinha e passa o tempo com dores, dia e noite. Os vizinhos ouvem os gritos dela, é o tempo inteiro, não tem remédio que dê jeito. Às vezes ela consegue dormir um pouco, mas a maioria do tempo é com muitas dores”, diz.

Reidna vive em cima de uma cama, não consegue ficar por muito tempo na cadeira de rodas por conta das dores e precisa de R$ 300 reais para a consulta, mais valores de exames, que a família ainda não sabe a quantia. “Depois disso vem a cirurgia, precisamos de dinheiro para isso também. No SUS eles alegam que, já foi feito o que o sistema tem disponível no caso dela. O desespero é grande, ela está sofrendo demais, imagina ter uma pessoa em casa, que vive aos gritos e choro de dor?”, lamenta Flaika.

Depois que sofreu acidente, Reidna ficou internada por cinco meses no Hospital Dr Roberto Arnizault Silvares, em São Mateus, por muito tempo correu risco de morte, e ainda ficou internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). “Ela não aguenta ir e voltar no mesmo dia para Vitória, precisamos de um lugar para ficar também, uma pensão, qualquer coisa”, fala.

Enquanto esta reportagem estava sendo produzida, a Reidna precisou ser levada para o Hospital Roberto Silvares, para tratar de uma osteomielite, uma infecção no osso causada por bactérias, fungos ou micobactérias.

Reidna está morando com a avó. A irmã e a tia são responsáveis pelos cuidados dela, que mora, no bairro Boa Mira. A mãe da adolescente morreu há pouco mais de um ano, vítima de câncer. Antes do acidente, a menina estudava, era integrante do grupo de louvor da Igreja Maranata e tinha uma vida normal, como qualquer adolescente de 17 anos. No momento do acidente, Reidna estava trafegando em uma via na bicicleta, próximo ao meio fio.

Quem puder ajudar a esperancense: o depósito pode ser feito no Banco Banestes (Agência: 0145/ Conta: 2969257-1, em nome de Reidna da Silva Neres). Informações pelo telefone 99797-0803.


(*Com informações do Rede Noticias ES)