Autoridades apresentam áudio da cabine de comando do voo MH370 para familiares das vítimas

Comente
CARRINHO-MALUCO
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
Mulher chora

Mais de cinquenta dias após o acidente com o voo MH370 da Malaysia Airlines, os parentes dos passageiros desaparecidos ouviram pela primeira vez a gravação das conversas da cabine de comando, reporta a CNN. O áudio apresentado pelas autoridades reproduz uma conversa de rádio padrão entre um avião e um operador de controle em solo, com ambos confirmando detalhes da rota, altitude e o número de identificação do voo.

“Malásia três, sete, zero contate Ho Chi Min 120,9, boa noite”, diz uma voz identificada pelas autoridades como a de um controlador de radar em Kuala Lumpur, capital da Malásia, de onde o avião decolou. “Boa noite, Malásia três sete zero”, responde uma voz masculina de um dos pilotos do Boeing 777, que tinha como destino final Pequim, na China.

A gravação da conversa foi apresentada em uma sala de conferência de um hotel em Pequim, onde parentes das vítimas chinesas ainda aguardam informações sobre o paradeiro do avião, que caiu em um ponto remoto e ainda desconhecido do Oceano Índico, próximo da costa da Austrália. Das 239 pessoas que perderam suas vidas no acidente – segundo informação da própria companhia aérea -, 154 eram cidadãos chineses.

O evento desta terça-feira em Pequim incluiu ainda a apresentação de uma cronologia dos últimos contatos da aeronave com as estações de controle aéreo, e de sinais captados por um satélite. Na última tentativa de contato, às 2h03 do dia 8 de março, pelo horário local, o centro de controle operacional da Malaysia Airlines enviou uma mensagem ao avião instruindo o piloto a entrar em contato com o controle de solo no Vietnã.  O voo MH370 não respondeu à mensagem, de acordo com as autoridades.
O avião desapareceu dos radares cerca de 40 minutos após a decolagem e mudou de rumo em uma ação deliberada, segundo as autoridades malaias, atravessando o estreito de Malaca e seguindo na direção contrária a de seu trajeto inicial. Incluindo a tripulação, estavam a bordo da aeronave 154 chineses, 50 malaios, sete indonésios, seis australianos, cinco indianos, quatro franceses, três americanos, dois neozelandeses, dois ucranianos, dois canadenses, um russo, um holandês e dois iranianos que utilizaram os passaportes roubados de um italiano e um austríaco.

 

 

Desaparecimento

Mulher chora enquanto fala ao celular em busca de informações de um parente que estava no avião da Malaysia Airlines

No dia 7 de março, a companhia aérea Malaysia Airlines comunicou que havia perdido o contato com o voo MH370, que decolou do aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, com destino à capital chinesa Pequim. O anúncio foi feito após as autoridades do Vietnã confirmarem que o avião não se encontrava mais em seu espaço aéreo, onde o piloto trocou a última mensagem com os controladores. Segundo o relato inicial da empresa, o Boeing B777-200 transportava 239 pessoas de treze nacionalidades, sendo 227 passageiros, incluindo dois menores de idade, e doze tripulantes.

12311101_932419773478464_1231929020317032740_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *