Criança de 5 anos é molestada pelo companheiro da avó no balneário de Guriri

0
225

Um caso que revoltou os policiais que estavam de plantão nesta segunda-feira (14) chamou a atenção para os cuidados que os pais devem ter com os filhos. Uma menina de cinco anos foi estuprada pelo companheiro da avó, identificado por Serginho, de 34 anos. O acusado disse que levou a criança para a praia com o consentimento da avó com quem ele convive.

Por tratar-se de crimes contra criança a reportagem não vai identificar a avó e mãe da criança que foi atendida no Hospital Roberto Silvares com ferimentos na vagina, mas não corre risco de sequelas.

A mãe da criança contou que deixou a filha com a avó, sua mãe, e quando foi busca-la a criança queixou-se de dor na região genital. Ainda de acordo com a mãe o companheiro dela pegou sua filha sem a permissão da avó, contrariando a sua versão

Num breve diálogo com a menor, na presença de sua mãe, ela relatou aos militares que “Serginho” brincou de fazer cócegas em sua barriga e em sua genitália, que ele enfiou o dedo lá, tendo isso ocorrido dentro do mar e que ele à teria causado feridas, que estavam doendo.

Diante dos fatos, com a mãe na viatura policial, os militares deslocaram aos possíveis endereços onde o acusado poderia estar, tendo os militares logrado êxito em encontra-lo na casa de sua irmã, sendo lá detido e informado das acusações que pesavam contra ele.

O acusado negou aos militares que tenha violentado a criança. Que apenas teria ido com ela à praia e que teria avisado a avó dela que estaria levando-a. O acusado então foi cientificado de que seria conduzido à presença do delegado de plantão na 18ª Delegacia de São Mateus.

Não foi necessário o uso de algemas para condução do detido, o qual foi transportado no compartimento de segurança da viatura policial, sendo apresentado sem lesões. A menor e sua genitora foram encaminhadas por outros policiais ao Hospital Roberto Silvares para primeiro atendimento da menor, sendo todo o procedimento acompanhado por uma conselheira tutelar.

Fonte: FA Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here