Espírito Santo ocupa o primeiro lugar no ranking de assassinatos de mulheres no país

Comente
CARRINHO-MALUCO
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
1511030_747196281970696_1263704931_n

Posse e histórico de violência estão relacionados a assassinatos de mulheres pelos seus parceiros, diz especialista

Bárbara, Izabella, Katiane, Jéssica, Adriana, Patrícia, Karla… esses são apenas alguns nomes das muitas mulheres que foram mortas nos últimos meses no Estado. Umas eram mães, trabalhavam, outras eram estudantes, mas todas tiveram algo em comum: elas foram mortas pelos próprios companheiros.
O caso mais recente é o da Bárbara Richardelle, 18 anos, estrangulada e morta pelo namorado Christian Cunha, 19, porque, segundo ele, ela sabia demais e não poderia terminar o relacionamento. Para a professora e psicóloga Mônica Trindade, esse tipo de crime acontece quando a relação de amor se confunde com a posse. “Ele acha que ela é propriedade dele. Se ela não faz o que ele quer, é como se ela desafiasse o lugar de poder que esse homem ocupa”, diz.
A psicóloga, que é especializada em crimes de motivação banal, explica que, em geral, as pessoas que cometem esses crimes passionais são pessoas que tiveram um histórico de violência durante a vida. “Na maioria dos casos a pessoa tem uma história de vida que envolve a violência. Elas resolvem os problemas pela agressividade. Aprendem em casa mesmo. Os pais não ensinam uma forma não agressiva de resolver os problemas”, afirma a psicóloga
No final de outubro do ano passado, a babá Karla Kayane Paubel de Carvalho, 20 anos, foi morta pelo ex-namorado, com dez tiros, dentro da casa da mãe. O criminoso descarregou a arma na frente de três crianças: o filho da vítima de 3 anos, a irmã dela de 11 e uma prima de 13. Segundo a psicóloga, o fim dos relacionamentos são, com frequência o motivo do crime. “A pessoa pensa que quando o outro o abandona ele fere sua honra e com isso ele perde o lugar de poder na relação”, diz.
O Espírito Santo amarga o título de Estado aonde se mata mais mulheres no Brasil.
Sobre essa triste realidade, Mônica Trindade afirma que uma combinação entre aspectos da personalidade da pessoa e a cultura machista da nossa sociedade é a causa de tanta violência. “Nós ficamos menos tolerantes na relação com o outro e isso se deve à cultura machista que vê o homem em posição superior à da mulher”, explica.
Em menor quantidade, a professora diz que existem os casos em que a pessoa que não tem histórico de violência, passa por um período de estresse em casa, no trabalho, no trânsito e de repente acontece uma explosão. Nesses casos, o primeiro problema que vier é resolvido com brutalidade e, com frequência, acontece de ser uma discussão com a companheira.
No final de outubro do ano passado, a babá Karla Kayane Paubel de Carvalho, 20 anos, foi morta pelo ex-namorado, com dez tiros, dentro da casa da mãe. O criminoso descarregou a arma na frente de três crianças: o filho da vítima de 3 anos, a irmã dela de 11 e uma prima de 13. Segundo a psicóloga, o fim dos relacionamentos são, com frequência o motivo do crime. “A pessoa pensa que quando o outro o abandona ele fere sua honra e com isso ele perde o lugar de poder na relação”, diz.
O Espírito Santo amarga o título de Estado aonde se mata mais mulheres no Brasil.
Sobre essa triste realidade, Mônica Trindade afirma que uma combinação entre aspectos da personalidade da pessoa e a cultura machista da nossa sociedade é a causa de tanta violência. “Nós ficamos menos tolerantes na relação com o outro e isso se deve à cultura machista que vê o homem em posição superior à da mulher”, explica.
Casos:

28 de outubro de 2013

A babá Karla Kayane Paubel de Carvalho, 20 anos, foi morta pelo ex-namorado, com dez tiros, dentro da casa da mãe, na madrugada de ontem, no bairro Bubu, em Cariacica. O criminoso descarregou a arma na frente de três crianças: o filho da vítima de 3 anos, a irmã dela de 11 e uma prima de 13.

26 de novembro de 2013

Jaine foi morta pelo namorado, Anderson Pereira, 36, na suíte de um motel, em Cariacica. Após o crime, ele tentou o suicídio. Para a polícia, o uso de drogas pode ter motivado o crime.

jaine_carla_leris_gon__alves-1323059

11 de dezembro de 2013

Wemerson Silva Simoura, 23 anos, confessou ter estuprado e causado a morte da estudante Patrícia Ecla de Oliveira, 18, na noite da última sexta-feira, no bairro Vila Paulista, em Barra de São Francisco, Região Noroeste do Estado. Wemerson disse que tinha saído do trabalho e foi a um bar com um amigo, onde tomaram quatro cervejas. Quando voltava para casa, viu Patrícia. Naquele momento, segundo Wemerson, sentiu uma vontade incontrolável de ficar com a moça.

28 de janeiro de 2014

Uma adolescente de 15 anos foi assassinada em Córrego da Areia Branca, zona rural de Ibitirama, na região do Caparaó. O corpo de Adriana Barbosa Lima Cardoso foi encontrado, em avançado estava decomposição, dentro de um poço, que fica nos fundos da casa onde ela morava com o companheiro.  De acordo com a Polícia Militar, o corpo estava com uma perfuração de faca. A suspeita é de que o assassino seja o companheiro de Adriana, um lavrador de 22 anos, conhecido apenas como Jorginho. Ele está desaparecido desde o dia do crime.

17 de fevereiro de 2014

A estudante Jéssica Isidoro Vieira, de 18 anos, foi assassinada a tiros durante uma festa de aniversário, no bairro Vila Nova de Colares, na Serra.

Segundo a polícia, a jovem foi morta porque brigou com um homem que se aproximou muito dela enquanto ela dançava. O acusado também estava na festa, mas fugiu e ainda não foi localizado.

j__ssica_isidoro-1323047
20 de fevereiro de 2014

A cabeleireira Rosilene da Costa Silveira Delpupo, 33 anos, foi estrangulada até a morte pelo namorado, o pintor Paulo Henrique Lourenço Moreira, 28 anos, em Pedra Azul, Domingos Martins. O crime aconteceu em 20 de fevereiro de 2014, mas o corpo da mulher só foi encontrado 21 dias depois, em uma cachoeira, no distrito de São Bento de Urânia, em Alfredo Chaves.
rosiline-1323053
Paulo e Rosilene mantinham um relacionamento havia cerca de quatro anos. Ela era casada, mas se separou, para os dois ficarem juntos. O pintor também abandonou a namorada na expectativa do romance com Rosilene. Entretanto, a vítima passou a ter outro relacionamento. Por raiva ou paixão, Paulo Henrique acabou a assassinando. O homem foi preso.

3 de março de 2014

A vendedora Katiane Almeida da Silva Alves, 24, foi assassinada a facadas pelo marido, o trocador de ônibus Jairo Alves dos Santos, 23. Após matá-la, o cobrador pegou um táxi, ameaçou o motorista e se matou ao se jogar no mar, de cima da Terceira Ponte.

1_katiane_almeida_da_silva_alves-1323052

9 de março de 2014

Diogo de Oliveira de Jesus conviveu dentro de casa com o corpo da mulher, a operadora de caixa Izabella Malta Bustamante, 18, assassinada por ele, em Jardim Carapina, na Serra durante três dias. Ele estrangulou a esposa na noite de quinta-feira e escondeu o corpo dentro de um guarda-roupas. 1_izabella_malta_bustamante-1323058

12311101_932419773478464_1231929020317032740_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *