Filho de advogado encontrado morto em Barra de São Francisco

0

É o primeiro homicídio do ano. O rapaz era filho de advogado Luciano Moura e foi morto a facadas no bairro Campo Novo. Polícia procura suspeito.

Kaique teria sido morto a facadas por um homem com quem estaria compartilhando a casa (Foto: Redes Sociais)

Bastaram 13 dias para que Barra de São Francisco registrasse o primeiro homicídio do ano. No início da semana, as autoridades de segurança do município comemoravam a queda de quase 50% no índice de mortes violentas na cidade e, principalmente, porque, dos sete casos de 2020, apenas um tinha relação com o tráfico.

Um rapaz conhecido como Kaique ou Kaíto Moura teve o corpo encontrado dentro de uma casa, no bairro Campo Novo, por volta das 19 horas, mas as primeiras informações dão conta de que o crime ocorreu, possivelmente, pela manhã. Ao lado do corpo havia uma faca, possivelmente utilizada no assassinato, e o corpo de Kaique , filho do advogado Luciano Moura, estava enrolado dentro de um colchão.

A perícia foi chamada e as Polícias Civil e Militar procuram por um suspeito, com quem Kaique estaria compartilhando a casa. As suspeitas são de que teria sido um “crime banal”.

O suspeito teria saído da casa e sido visto por vizinhos e estaria circulando normalmente pela cidade.

De acordo com pessoas que o conheciam, Kaike já sofreu outras tentativas de homicídio, numa delas, em meio a muita gente, uma pessoa foi atingida e teria ficado paraplégica.

REDUÇÃO

O município de Barra de São Francisco teve uma redução de 46% no número de homicídios em 2020, em relação a 2019. Foi o segundo melhor resultado desde 2002, segundo levantamentos realizados pela Área Integrada de Segurança Pública do 11º Batalhão da Polícia Militar (AISP 11) junto ao Mapa da Violência do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Houve queda também de 42% nos registros de tentativas de homicídios.

Dados do Observatório de Segurança da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (SESP) apontaram que, no ano passado, foram registrados apenas sete homicídios, enquanto que em 2019 ocorreram 13 homicídios. Em duas décadas, somente 2015 apresentou índice melhor do que 2020, com seis homicídios.

A linha histórica de homicídios apresenta um significativo número de mortes relacionadas ao tráfico de drogas e crimes de mando entre os anos de 2006 e 2012, quando houve picos de 33 e 34 homicídios, colocando o município de Barra de São Francisco entre as cidades mais violentas do Brasil.

O subcomandante do 11º Batalhão, major PM Jefson Coelho Correa, que está no exercício do comando nas férias do tenente coronel Rômulo, enfatizou que houve uma mudança na dinâmica dos homicídios de 2020 em relação a 2019. “É uma reviravolta. Enquanto 2019 apresentou uma predominância de crimes com relação ao tráfico de drogas, com 11 dos 13 casos, o ano de 2020 registrou apenas um homicídio do total de sete, sendo os outros seis foram relativos a crimes com motivação banal”, observou.