Justiça nega pedido de liberdade a Pastor George Alves

Comente
CARRINHO-MALUCO
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
justica-nega-pedido-de-liberdade-a-pastor-george-alves

O teor da decisão não foi divulgado porque o processo correr em segredo de Justiça.

O Tribunal de Justiça do Espírito Santo negou o pedido de liberdade feito pela defesa do pastor George Alves, preso desde o último sábado por atrapalhar as investigações que apuram a morte do filho dele, Joaquim Alves Sales, de 3 anos, e do enteado, Kauã Sales Burkovsky, de 6. A decisão é do desembargador substituto Júlio César Costa, juiz que substitui a desembargadora Elisabeth Lordes da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. O teor da decisão não foi divulgado porque o processo correr em segredo de Justiça. George cumpre prisão temporária de 30 dias.

 

As crianças morreram carbonizadas no dia 21 de abril, após um incêndio atingir o quarto onde elas dormiam na casa da família, no centro de Linhares. George era a única pessoa que estava na residência com os menores. Na última quinta-feira a mulher dele e mãe dos meninos, Juliana Salles, prestou o segundo depoimento aos delegados responsáveis pelo inquérito e teve o celular apreendido. Com autorização da Justiça a polícia quebrou o sigilo telefônico do casal.

 

Nova Perícia

 

O grupo de advogados responsável pela defesa do pastor George Alves protocolou, na última sexta-feira (04), um pedido, junto à Polícia Civil, para que seja realizado uma perícia particular na residência onde os irmãos Joaquim Alves Sales, de 3 anos, e Kauã Sales Burkovsky, de 6, morreram carbonizados, no último dia 21, em Linhares, norte do Estado.

 

Uma advogada que pertence a esse grupo informou que o delegado responsável pelo caso ainda não decidiu se essa nova perícia poderá ser realizada e também não deu previsão de quando essa decisão será tomada.Até o momento, a Polícia Civil já realizou cinco etapas na perícia na casa onde ocorreu a tragédia. Em uma delas, os pe ritos encontraram, com o auxílio de luminol, vestígios de sangue no quarto dos dois irmãos. Também foi realizada uma perícia dentro do carro utilizado pelo pastor George – pai de Joaquim e padrasto de Kauã.

informações site de linhares

12311101_932419773478464_1231929020317032740_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *