Mãe de criança morta em incêndio em Vitória diz que viu filho mais novo com isqueiro

Comente
CARRINHO-MALUCO
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
f4ad5a70-9e58-0136-f3db-6231c35b6685--minified

Pâmela dos Santos Soares disse que estava cozinhando, na manhã de terça-feira, quando sentiu um cheiro de fumaça e viu que colchão estava pegando fogo

Redação Folha Vitória

Os pais do pequeno Yuri dos Santos Gonçalves, de 4 anos, que morreu em um incêndio no apartamento da família, no Bairro República, em Vitória, prestaram depoimento no Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na tarde desta quarta-feira (19). Logo depois, a mãe da criança, Pâmela dos Santos Soares, conversou com a imprensa e contou detalhes sobre o drama vivido no final da manhã de terça-feira (18).

Pâmela contou que sentiu um cheiro de fumaça e, logo depois, viu o filho mais novo, de 2 anos, com um isqueiro na mão. “Eu estava em casa cozinhando e meus dois meninos pequenos estavam brincando. De repente eu senti um cheiro de fumaça e, quando fui no quarto, o colchão já estava pegando fogo e meu menino de 2 anos estava com um isqueiro na mão. Foi questão de minutos. Eu coloquei o isqueiro na pia e estava cozinhando. Acho que ele pegou e eu não vi e ele deve ter tentado ligar na cama”, contou.

A mãe da vítima disse que tentou conter as chamas, mas não conseguiu. Ao ver o fogo, Yuri teria corrido para o banheiro e se trancado. “Tentei jogar água e, quando eu jogava água, aí é que [o fogo] subia mais. Aí meu menino de 4 anos entrou no banheiro e fechou a porta. Nisso o fogo travou a entrada. Eu saí gritando, chamando os vizinhos. Os vizinhos tentaram entrar, só que não conseguiam, porque o fogo se alastrou muito rápido. Meu marido também tentou, foi no apartamento do lado e tentou quebrar a báscula, mas não conseguiu”, relatou.

Yuri se trancou no banheiro e foi encontrado, já sem vida, pelos bombeiros | Foto: Reprodução

Pâmela disse ainda que o sistema elétrico do prédio sempre apresentava problemas e que toda vez que a família ia tomar banho, tinha uma queda na luz. Ela acredita que a instalação elétrica pode ter contribuído para o incêndio. “Aquele prédio já foi interditado uma vez. Então eles estão investigando. Tem muita fiação irregular também, pode ser isso. E as paredes também eram de gesso”, afirmou.

O apartamento onde aconteceu o incêndio fica no terceiro andar do prédio. No momento, o pai de Yuri, Cláudio Francisco Gonçalves, trabalhava em uma obra no primeiro andar do edifício, quando ouviu os gritos dos vizinhos e subiu para tentar socorrer o filho.

Sobre o filho mais novo, Pâmela disse que o menino ficou muito abalado após presenciar o incêndio. “Ele está bem, mas está muito assustado. Até então ele estava comigo, ele viu meus gritos, meu desespero. Ele está muito sério, não está rindo. Está bem quietinho”, contou.

Pâmela conversou com a imprensa após prestar depoimento na DHPP | Foto: TV Vitória

Enterro

De acordo com uma tia de Yuri, que esteve no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, nesta quarta-feira, para liberar o corpo da criança, o sobrinho será sepultado na manhã de quinta-feira (20), no Cemitério de Maruípe, na capital. Já informações sobre o velório não foram divulgadas para preservar a privacidade da família.

Além de prestarem depoimento na DHPP por cerca de quatro horas, os pais de Yuri passaram a tarde providenciando a documentação para a liberação do corpo, que foi feita por tios do menino.

12311101_932419773478464_1231929020317032740_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *