Mulher é agredida pelo namorado e fica desacordada no meio da rua no ES

Comente
CARRINHO-MALUCO
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
72742_20112017220954

VILA VELHA (ES) – Com vários hematomas no rosto e pelo corpo, uma estudante de 28 anos procurou a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Vila Velha, na manhã desta segunda-feira (20), em busca de uma medida protetiva contra o namorado, após ser agredida por ele na madrugada de sábado. As pancadas na cabeça foram tão fortes que a jovem ficou desmaiada por quase duas horas no meio da rua.

De acordo com relato da estudante, tudo aconteceu em frente a um bar. Ela disse que após encontrar um amigo da época de escola no local, o namorado, por ciúmes, iniciou a agressão verbal e física.

Ela levou vários chutes e socos na cabeça, ficou desacordada na rua, e precisou ser socorrida e levada para casa por conhecidos.

“Foi do nada. Saímos para um bar tomar cerveja e, quando chegou lá, eu encontrei um conhecido que já tinha estudado comigo havia muitos, na época do ensino fundamental. Aí ele começou a falar que eu estava armando para ele”, afirma a vítima.

O casal estava juntos havia quase dois anos. A estudante afirma que outras agressões já aconteceram, mas que dessa vez foi pior, pois o namorado a ameaçou de morte. “Ele me deixou desmaiada e foi até em casa para pegar uma faca para poder me matar. Só que quando ele passou no local eu não estava mais. Aí ele foi até minha casa. Só não conseguiu entrar porque minha mãe entrou na frente”, disse.

Chocada com o que aconteceu, a mulher lamenta fazer parte das estatísticas de violência contra a mulher. “Nunca pensei que eu ía passar por isso na minha vida. Que eu iria fazer parte de uma estatística.” Pela agressão e ameaça de morte, a vítima pediu uma medida protetiva para que o agressor seja proibido de chegar perto dela, de sua residência ou entrar em contato por telefone e outros meios.

De acordo com a delegada Maria Aparecida Sfalsini, titular da Deam, a medida protetiva requerida vai ser encaminhada para a Justiça, que deve proferir decisão no prazo de 48h. O acusado só pode ser preso se for pego em flagrante pela polícia, ou após ser condenado pela justiça. “É instaurado inquérito e depois do deferimento da medida, o agressor pode ser condenado com base na Lei Maria da Penha a três anos de prisão”, disse a delegada. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados para não expor a vítima.

(*Com informações do Gazeta on line

12311101_932419773478464_1231929020317032740_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *