Programa de Rastreamento do Câncer de Pele faz centenas de atendimentos em Vila Pavão-ES

Comente
CARRINHO-MALUCO
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
44543139_535330886895117_5066982023868973056_o

O Programa de atendimento Dermatológico (PAD), responsável por rastrear o câncer de pele nos agricultores do interior do Espírito Santo, passou por Vila Pavão no último final de semana, dias 20 e 21 de outubro de 2018. Na passagem pelo município, os profissionais do projeto realizaram 225 atendimentos. 115 crioterapias e 92 cirurgias, número bem superior ao ano passado, deixando preocupada a equipe médica.

O Programa coordenado pela Associação Albergue Martim Lutero, é desenvolvido com a participação da Prefeitura de Vila Pavão/Secretaria de Saúde; Secretaria de Estado da Saúde ( SESA);  Universidade Federal do Espírito Santo (UFES);  Igreja Evangélica de Confissão Luterana ( IECLB) e voluntários.

44539069_535329530228586_6668349082555121664_o

O trabalho da equipe de profissionais consiste em identificar lesões de pele cancerígenas, através de exame clínico. Um centro cirúrgico todo ano é montado no interior da “Igrejona”, onde são realizados pequenas cirurgias sempre  que alguma lesão de pele no paciente é detectada. Os casos mais graves são encaminhados a hospital na Grande Vitória.

O PAD conta com uma estrutura composta de muitos profissionais qualificados e experientes. Integraram a equipe que veio a Vila Pavão, dois cirurgiões plásticos. É importante destacar que o paciente que faz esse tipo de intervenção em outros lugares, depois precisa passar novamente por um  cirurgião plástico para reparar a parte estética. Compõem ainda a equipe:  42 acadêmicos de medicina,  enfermeiros, além dos motoristas que transportam o grupo e os equipamentos.

44603359_535330166895189_2091033054582669312_o

O programa completou em 2018, 31 anos de atividade. Todo mês atende em uma cidade diferente.  São 11 municípios parceiros: Afonso Cláudio, Baixo Guandu, Itarana, Itaguaçu, Santa Maria de Jetibá, Laranja da Terra, Domingos Martins,  Vila Valério, Pancas, São Gabriel da Palha e Vila Pavão, onde se concentram as maiores comunidades de descendentes de europeus, formadas por pessoas de pelo clara,  comprovadamente , os mais vulneráveis ao câncer de pele.

Conforme explicou a coordenadora do programa, Vera Lúcia Dttmann Jarske, todos esses anos de acompanhamento, naturalmente, fez com que os casos mais graves de câncer de pele,  diminuíssem drasticamente,  no entanto,  os casos  mais comuns da doença continuam sendo detectados todos os meses em agricultores monitorados pelo programa.

44464964_535330110228528_2343223930656915456_o

Além do rastreamento do câncer de pele, a equipe desenvolve um trabalho de prevenção à doença, ensinando a população a se proteger com filtro solar, bonés e calça na hora do trabalho, bem como, propondo mudanças comportamentais mais saudáveis em relação à exposição ao sol e à alimentação.

“O trabalho de combate ao câncer de pele nas comunidades do interior do Espírito Santo  vai muito além. Os dois dias de trabalho da equipe nas comunidades é a parte inicial do processo. Ou seja, no mutirão, a gente orienta, detecta , trata e encaminha. A partir do momento que começa o tratamento, o paciente recebe um acompanhamento continuo e sistemático“, explica a coordenadora

Envolvimento da equipe

“O calendário anual de atendimentos PAD é realizado no ano anterior e a vida de quem participa do programa é diretamente influenciada por isso. Viagens, reuniões e eventos familiares acontecem em função desse calendário. Acima de tudo, o projeto exige muito envolvimento. Na verdade, a partir do momento  que passamos a conhecer e fazer parte dele, a gente se encanta e apaixona automaticamente”, diz a coordenadora

Parceria

Cada parceiro tem um papel dentro do programa. A Igreja Evangélica de confissão Luterana (IECLB) e os voluntários estão diretamente envolvidos na dinâmica. A Associação Albergue Martin Lutero organiza e coordena o projeto todos os meses em um município diferente; a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) libera os acadêmicos, um veiculo com botijões de nitrogênio e equipamentos cirúrgicos; a secretaria de Estado da Saúde (Sesa) disponibiliza a equipe técnica; Já a Prefeitura Municipal  tem a responsabidade de fazer o programa acontecer. É ela que disponibiliza o transporte, hospedagem, alimentação, profissionais , além de todo o material cirúrgico utilizado no trabalho.

———————-
Cléber Sabino

Assessor de Comunicação da Prefeitura de Vila Pavão-ES.

MTB-ES 1.410 – Tel.: (27) 3753-1001 – (27) 9 99-621857.  

12311101_932419773478464_1231929020317032740_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *