Secretaria Municipal de Saúde de Barra de São Francisco realiza palestra de de capacitação para médicos e enfermeiros e agentes de saúde atuantes no município

123 views Leave a comment
12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
DSC05035

DSC05054

Se já não bastassem todos os transtornos que uma enchente traz, há ainda, após o recuo das águas, o alto risco de contaminação, que expõe a população a inúmeras doenças e ao aumento na incidência de acidentes como afogamentos, lesões corporais e choques elétricos. Há também um aumento na proliferação dos vetores de doenças, como ratos e mosquitos, e de picadas de animais peçonhentos, como aranhas, escorpiões e cobras.
A maioria das doenças ocorre devido à ingestão de água contaminada ou pelo simples contato com essa água.

A secretaria Municipal de Saúde de Barra de São Francisco nesta terça feira 07 de janeiro, com o intuito de alertar a população a respeito das doenças típicas provocadas por quem teve o contato com água contaminada em função de enchentes, realizou uma palestra de capacitação sobre o tema para médicos e enfermeiros e agentes de saúde atuantes no município,

A formação foi realizada na Unidade de Saúde do bairro Bambé e contou com a presença da secretario de Saúde de Barra de São Francisco Fábio Bastianelle da Silva, Diretor do Hospital Rita de Cássia Kepler Alexandro Reis Júnior, Vereador e médico Dr Aloyzio Alves e do palestrante Médico Infectologista  da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Marcello Barbosa Leal

DSC05049

O palestrante drº Marcelo explicou sobre as principais doenças causadas por meio do contato com a água contaminada como: leptospirose, hepatite A e Febre Tifóide, os principais sintomas e as medidas de prevenção.

“Esse trabalho de prevenção é uma medida para reforçar ainda mais o trabalho da Vigilância em Saúde no município, além de beneficiar médicos e enfermeiros atuantes por meio da capacitação”, disse Dr Marcelo Barbosa Leal, da Atenção Primária de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Para a Andreia Maia, que atua na Unidade de Saúde de Barra de São Francisco, a formação é importante para o aperfeiçoamento e atualização profissional. “Com as palestras ficamos mais informadas sobre as doenças, se existem novas maneiras de prevenção, como vacinas, entre outras medidas”, explica.

DSC05046

Principais doenças relacionadas às enchentes: 

Febre Tifóide: É uma doença provocada por uma bactéria e está relacionada com condições ruins de saneamento, higiene pessoal e ambiental, sendo transmitida por meio da água e alimentos contaminados com fezes e urina de pessoas portadoras.
Hepatite A: Doença hepática (fígado) transmitida por meio de água ou alimentos contaminados. É mais comum ocorrer em crianças e adultos jovens.

Leptospirose: A transmissão se dá pelo contato com água ou lama, contaminadas com a urina de animais infectados (ratos), por meio de mucosas (olhos, boca, nariz, genitais), e principalmente, pela pele.

Doenças Diarreicas: Provocadas por vírus ou bactérias, aumentando o número de casos nestas situações de enchentes pela ingestão de água ou alimentos contaminados.

Principais sintomas:

Febre Tifóide: Febre alta, dores de cabeça, mal-estar, falta de apetite, manchas rosadas no tronco, intestino preso ou diarreia e tosse seca.
Hepatite A: Perda de apetite, febre, dores de cabeça, dor abdominal, icterícia (cor amarelada) das mucosas e pele e fezes brancas.

Leptospirose: Febre alta e contínua, calafrios, dor muscular intensa e generalizada, principalmente nas panturrilhas, dor abdominal, dor de cabeça, dor nas juntas náuseas, vômito, diarreia e tosse.

Doenças Diarreicas: 
Diarreia frequentemente acompanhada de vômito, febre e dor abdominal.

Medidas de prevenção:

– Evite o contato com água e lama de enchentes e impeça que crianças nadem ou brinquem nesses ambientes.

-Se a enchente inundar as residências, após as águas baixarem, deve-se lavar e desinfetar o chão, paredes, objetos caseiros e roupas atingidas (sempre se protegendo com luvas e botas de borracha) utilizando água sanitária na proporção de quatro xícaras de café de água sanitária para um balde de 20 litros de água. Depois, lave com água limpa.

-Todo alimento exposto à água contaminada deve ser jogado fora

– Ferva e filtre a água de beber

– Recomenda-se limpar a caixa d’água, usando a seguinte solução: 1 litro de água sanitária para cada 1000 litros de água. Aguardar 1 hora para desinfetar o reservatório e canalizações e abrir as torneiras para esvaziá-lo, podendo-se utilizar essa água na limpeza da casa.

– O lixo deve ser colocado devidamente em sacolas, armazenado longe do solo e posto para coleta pouco antes do lixeiro passar. Assim evita-se que ele fique espalhado pelas ruas, contaminando o ambiente e entupindo as galerias, o que dificulta o escoamento das águas.

Se você ficar doente alguns dias após ter contato com águas de enchente ou esgoto, procure o Centro Médico de Saúde mais próximo. Não se esqueça de contar ao médico que teve contato com água ou lama de enchente.

 

Author Bio

Ricardo Madureira

No Description or Default Description Here

OUTDOOR_AQUACLEAN_1-page-001
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *