A CULTURA EM ÁGUIA BRANCA E REGIÃO NOROESTE.

0
Centro de Cultura Polonesa de Águia Branca
Centro de Cultura Polonesa de Águia Branca

A CULTURA EM ÁGUIA BRANCA E REGIÃO NOROESTE.

A Região Noroeste do Espírito é uma região rica no que tange a cultura de seus povos que desbravaram a região, alguns aventureiros vindos de Minas, outros imigrantes vindo de outros países. O noroeste do Espírito Santo é rico de uma diversidade muitas vezes não enxergada, ora por nós mesmo, ora por nossos gestores públicos.

E notório compreender e busca entender o porquê o Noroeste é umas das Regiões aonde há menos presença da Secretaria de Estado da Cultura. Os municípios carecem de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento cultural, poucos municípios compreendem à cultura como um pilar do desenvolvimento humano, ambiental, social e econômico.

Não há muito tempo, em um jornal de circulação estadual, um agente cultural, comentou que os Gestores Públicos sempre justificam o pouco investimento ou cortes orçamentais na pasta da cultura, por conta de investimentos na educação e na saúde, e então comentou que a saúde continua sem qualidade como também a educação.

A cultura é certamente a mãe de tudo, se tal povo cuida do meio ambiente, se tal povo se preocupa com a educação, isto faz parte se sua cultura. É certo constatar que no Espírito Santo, os municípios que investiram no desenvolvimento cultural, obtiveram menores índices de violência, maiores qualidades em sua educação e a consecução de um povo mais saudável.

Grupo Folclórico Pomerano de Vila Pavão-ES
Grupo Folclórico Pomerano de Vila Pavão-ES

Na Região Noroeste, o grande desafio da sociedade civil organizada é levar a cultura á condições de políticas públicas, com canais populares de participação efetiva, principalmente na inserção da juventude nos processos de desenvolvimento. É preciso que a Gestão Pública entenda uma nova visão de Gestão Cultural, com projetos para curto, médio e longo prazo.

Em tempo, o Comitê Noroeste eleito durante o Seminário Territorial de Elaboração do Plano Estadual de Cultura, está se mobilizando e debatendo o desenvolvimento cultural da Região, já houve a realização do Fórum Municipal de Cultura de Ecoporanga, e agora partimos para Fórum Munic. de Cultura de Mantenópolis, esperamos promover e articular os Fóruns Municipais em todos os Municípios da Região, e debater de forma bem articulada o desenvolvimento da cultura da Região, convidando sempre a Secretaria de Estado da Cultura para participação fundamental neste processo.

Há pouco tempo, o Projeto Olhares aprovado no Edital Bolsa Cultura Jovem, realizou um estudo sobre o Desenvolvimento Cultural em um dos Municípios da Região Noroeste, o Município de Águia Branca/ES. Certamente Águia Branca é um dos municípios mais ricos de cultura tradicional na Região, um dos que menos desenvolveram os seus índices de homicídios e um município com educação bem desenvolvida inserido em todo seu processo educacional a criação de duas Escolas Agro-Ecológicas.

Na pesquisa que foi realizada com mais de 60 alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Águia Branca, surgiu alguns destaques relevantes. Entre eles a constatação de ações a longo prazo, pois em mais de 75% da respostas referentes ao que os jovens e adolescentes poderiam fazer para construção de um município melhor, as resposta se referiram a “não jogar lixo no chão, não poluir os rios, cuida do meio ambiente”. Certamente tal resultado é consequência do trabalho de educação ambiental iniciado no ano de 2001, com a criação do Parque Natural Municipal Recanto do Jacaré e todo um processo de educação ambiental vivenciado no Município.

Por outro lado, algumas coisas pasmaram e nos preocuparam, como algumas respostas que elencaram a preocupação dos jovens em relação as bebidas, drogas e falta de atividades interessantes voltadas para a cultura. Quase que a totalidade dos jovens, se preocupam com o futuro, em cuidar dos pais, e pensam em sair do Município para busca maiores perspectivas.

Foram indicadas na pesquisa, como atividades preteridas pelos jovens, desde pintura, música, dança, a produção de audiovisual e grafite.

Há um grande desafio para a próxima Gestão Cultural, desde buscar um diálogo com os Movimentos Sociais no Município, criar um projeto de estudo do desenvolvimento cultural, dialogar com a juventude do município e inserir todos no processo de desenvolvimento. Fomentar políticas públicas com canais de participação popular, através de um Conselho Municipal de Cultura específico da cultura, um Plano Municipal de Cultura, e a criação do Fórum Permanente Municipal de Cultura, com ampla participação da sociedade civil organizada.

Torcemos pelo desenvolvimento cultural da Região Noroeste e do Município de Águia Branca, na certeza de que a cultura será um pilar fundamental e central, na luta contra a disseminação de problemáticas sociais que estão se disseminando por todos os Municípios da Região.

É preciso criar um diálogo e debate aprofundado sobre estas questões, dar a cultura às revoluções necessárias. E participar a juventude de forma efetiva de todo o processo, buscando novos horizontes e perspectivas, atuando na formação do olhar de todos diante das realidades que se apresentam.

Ainda na pesquisa uma frase de impacto no levou a uma profunda reflexão, uma resposta de um adolescente que cursa a sétima série do Ensino Fundamental, quando perguntamos “O que é ser jovem em Águia Branca”, tivemos a seguinte resposta:

“É querer transformar tudo e não poder mudar nada.”

Ficamos na torcida por boas Gestões Culturais e pelo fomento de Políticas Públicas voltadas para a cultura. Pela inserção dos adolescentes, jovens e sociedade civil nos processos de desenvolvimento.

Um bom 2013 para o desenvolvimento cultural de Águia Branca e da Região Noroeste.

Por Luciano Guimarães de Freitas
Titular Representante do Comitê Territorial Noroeste no Plano Estadual de Cultura.
Presidente da Comissão de Reorganização do Cineclube Eco Social Águia Branca
Produtor Cultural, Poeta, Cineclubista.