Acidentes de trânsito no ES deixam mais de 1,6 mil mutilados em 3 anos

0

images Levantamento foi feito pela Federação dos Trabalhadores Mutilados do ES.
Segundo a polícia, acidentes acontecem por desrespeito às leis de trânsito.

Dos 5.359 socorridos, 2.863 se acidentaram com moto.
Maioria dos acidentes com motos tem vitimado jovens entre 20 e 35 anos.

Os acidentes de trânsito no Espírito Santo deixaram 1656 pessoas mutiladas nos últimos três anos, segundo dados da Federação dos Trabalhadores Mutilados do Espírito Santo. A maioria das vítimas são motociclistas. Segundo a polícia, esses acidentes acontecem por desrespeito às leis de trânsito.

O governo do estado gasta em média, por mês, R$ 6,6 milhõescom as vítimas de acidentes todos os meses. Mas o número cresceu em todo o país. No primeiro trimestre de 2013, foram 30% em relação ao mesmo período em 2012.  A administradora do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) informou ainda que 65% das indenizações pagas por invalidez no Brasil pelo seguro são para motociclistas.

Para o presidente do Sindicato dos Motoboys de Vitória, Alexandre Martins Costa, os motociclistas precisam ser melhor preparados antes de entrar no trânsito. “Hoje você faz o psicotécnico e a prova escrita e o exame no pátio. Aquilo ali se você ficar o mês todo treinando, no dia da prova você já decorou aquele trajeto e pronto. Mas o cara não está preparado para andar no meio da chuva, entre buracos, no meio de carros e pedestres. Precisa o condutor ir para a rua e ir com um instrutor.

O major Scotá do Batalhão de Trânsito afirmou que a fiscalização deveria ser mais rígida e que cuidados essenciais ficam de lado. “Nós temos muitas infrações de motoristas não habilitados. Em torno de 50% das infrações são de motociclistas. É um total desrespeito com a legislação de trânsito”, disse.

moto

Dos 12 municípios de abrangência do Samu, o maior volume de acidentes motociclísticos ocorreu em Vila Velha. Foram 634 envios de ambulância para o município no primeiro semestre deste ano. Em seguida estão as cidades de Serra (585), Cariacica (570) e Vitória(546). (Confira a relação completa na tabela abaixo).

A médica diz que é comum os socorristas verificarem que o motociclista acidentado estava sem capacete ou com o equipamento apenas colocado sobre a cabeça, sem estar bem encaixado, afivelado e com as travas de segurança engatadas.

O capacete é considerado o principal item de segurança individual e se usado corretamente pode evitar o traumatismo craniano grave, em caso de acidente. Outras lesões comuns observadas nos socorros efetuados pelo Samu são fraturas nos braços e pernas e até amputação dos dedos do pé.

Tatiana ressalta que as ocorrências motociclísticas, além de onerar os serviços de saúde com a ocupação de leitos, muitas vezes por longos períodos, geram afastamento da pessoa do trabalho, dor no processo de reabilitação e até sequelas.

Motociclista morre atropelado na BR-101. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)Motociclista morre atropelado na BR-101.
(Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Os números
Acidentes com motos por município
Vila Velha – 634
Serra – 585
Cariacica – 570
Vitória – 546
Guarapari – 221
Viana – 121
Fundão – 31
Venda Nova do Imigrante – 50
Domingos Martins – 32
Marechal Floriano – 24
Anchieta – 31
Piúma – 17