Arthur, lateral do Linhares, é detido novamente com maconha

0

458_arthur_lateral-593408-4f315f3e23a6eJogador foi encaminhado para o DPJ, ouvido e liberado em seguida. Clube não irá punir, e promete recuperá-lo

Se recuperando de uma contusão no tornozelo direito, que o tirou do Capixabão desde a primeira rodada, na derrota para o Conilon, o lateral-direito Arthur Alvarenga Giovanelli, 22 anos, do Linhares, foi detido na noite desta última quinta-feira com um cigarro e uma bucha de maconha, além de uma caixa de fósforos. Em fevereiro do ano passado, o atleta já havia sido flagrado, e novamente foi autuado como usuário, o que não configura crime.

Encaminhado no Departamento de Polícia Judiciária de Linhares, ele foi ouvido e liberado. Ele foi autuado em um local escuro, na Avenida Filogônio Peixoto. O fato foi relatado no Boletim de Ocorrência 948, e assinado pelo 2º Sargento Aldair. As informações são do Site de Linhares.

Já em casa, nesta sexta-feira, o jogador falou com o GAZETA ESPORTES pelo telefone e lamentou o ocorrido. Disse que vinha ‘limpo’ há quase um ano e que está tentando se recuperar das drogas através do esporte.

“A única coisa que tenho para falar é que tenho que dar a volta por cima. Sou jovem, ser humano, tenho 22 anos, e estou buscando a recuperação a algum tempo. Ontem, fui fazer isso, fui abordado e nem cheguei a fazer. Fui até o DPJ, ouvido e liberado em seguida”, disse o jogador, que diz não estar jogando a carreira fora.

“Não estou jogando fora, estou buscando entrar ainda. Venho saindo das drogas por conta do esporte. Onde nasci, é um lugar turbulento, com tráfico, morte, essas coisas. Estou me recuperando através do esporte e da igreja. Estou procurando sair dessa vida”.

Clube não irá punir

O Linhares, através do presidente Adauto Menegussi, adiantou que não irá punir o jogador. Arthur está no clube desde os dez anos, e já teve um problema em fevereiro de 2012, quando foi detido no mesmo DPJ. Segundo Menegussi, a intenção do Linhares é recuperar o jogador e a pessoa Arthur, dando-lhe uma nova chance.

“Estive na casa dele hoje. Ele é um menino que está com a gente desde os dez anos. É de família, bom. Estamos tentando recuperá-lo a um ano. É um problema social. O Linhares foi formado dentro de uma escolinha de futebol. Desde crianças. Em formar cidadãos. Nos preocupamos com isso. Inclusive, o Arthur está se recuperando. Passou o carnaval na igreja, com todo mundo. Temos carinho por ele. Ele chorou comigo, disse que não usou, mas sabe que errou de novo. Me prometeu que vai se recuperar. Não queremos esconder, é um fato, mas vamos recuperá-lo. Ele segue no clube. Vamos recuperá-lo primeiro como homem e depois como atleta”.

O jogador volta a treinar normalmente com a equipe na próxima semana, se recuperando de lesão. E deve voltar a ficar à disposição do técnico Neemias Santos no duelo diante do Estrela, em Rio Bananal, no Estádio Virgílio Grassi, às 15 horas, no dia 9 de março.

Antidoping é realidade distante

Volta e meia, a questão referente a realização de exames antidoping no Capixabão é colocada na mesa. De acordo com a Federação de Futebol, no caso de Arthur, não há nada a ser feito na esfera esportiva. Hoje, a realização de exames no Estadual é uma realidade distante.

“No âmbito esportivo não há o que fazer. Apenas no criminal. A questão do doping é só efetiva, quando feita por laboratório credenciado. Só há um no Brasil pela agência internacional, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Não há nenhum profissional credenciado no Espírito Santo para ser feita a coleta e enviada a Uerj. Cada exame fica por cerca de R$ 3 mil. O clube que tem interesse que seja realizado doping em um jogo específico, precisa comunicar com certa antecedência, para que um médico venha ao Estado. E o custo é todo do solicitante”.

 

Fonte: GAZETAESPORTES.COM