Criança de 11 anos é torturada e enterrada viva por causa de R$ 10 reais

0
O corpo de Maycon Batista Rodrigues, 11 anos, foi encontrado nesta segunda-feira (7).

Um crime bárbaro chocou os moradores do município de Sooretama, no Norte do Estado. Maycon Batista Rodrigues, de apenas 11 anos, foi enterrado vivo às margens da BR 101 Norte. O corpo dele foi encontrado em uma cova rasa em meio a um cafezal, na tarde desta segunda-feira (7), por um agricultor que percebeu o mau cheiro de decomposição. Ele teria sido vítima de pauladas e golpes de enxadas, por causa de R$ 10.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Pedro Paulo Bossy, os suspeitos confessaram de maneira fria que encontraram o menino nas proximidades de uma represa, no bairro Córrego Alegre, onde ele estava com amigos. De lá até o cafezal onde enterraram a vítima, eles espancaram Maycon com socos, pontapés e pauladas, chegando a tentar esganá-lo.

Na lavoura, o garoto assistiu aos outros três cavaram a cova na qual seria enterrado. Maycon foi colocado sentado dentro do buraco e quando tentou escapar, foi atingido por enxadadas na cabeça. Os adolescentes, então, enterraram o menino vivo, ainda se debatendo.

Os garotos teriam pegado R$ 10 emprestado com Maycon e não queriam pagar. A vítima também teria flagrado o trio roubando bicicletas em Sooretama. Por isso ficaram com medo que a criança os delatasse. Maycon trabalha vendendo melancias e picolés, de acordo com a família.

Os três suspeitos já tinham ficha na polícia pelo crime de roubo. Eles foram autuados por infração análoga ao homicídio e encaminhados para uma unidade de internação para menores infratores, em Linhares.

Maycon estava desaparecido desde o início da tarde da última sexta-feira (4), quando ele foi a uma represa de Sooretama para tomar banho com amigos. Familiares desconfiavam que ele havia se afogado. O Corpo de Bombeiros fez buscas no local, sem sucesso. Os suspeitos do assassinato estavam no grupo que tomava banho na represa e, inclusive, ajudavam nas buscas

(Com informações de Almir Neto, Gazeta Online )