Detento é morto com um tiro ao tentar fugir de presídio em Linhares

0

Sejus disse que policiais penais advertiram e perseguiram detento, dando inúmeras ordens de parada, que não foram acatadas pelo interno

Detento é morto com um tiro ao tentar fugir de presídio em Linhares

 

Um detento da Penitenciária Regional de Linhares, foi morto com um disparo de arma de fogo no final da manhã de sábado (20). O caso aconteceu quando o homem, que não teve a identidade divulgada, tentou fugir da unidade prisional. O interno estava preso no local desde 28 de novembro de 2017, por roubo, conforme confirmou a Secretaria da Justiça (Sejus) e a Polícia Penal.
Segundo a Sejus, o interno tentou alcançar uma muralha que fica localizada nos fundos da penitenciária. “Policiais penais advertiram e perseguiram o detento dando inúmeras ordens de parada, que não foram acatadas pelo interno. Na ação foi realizado disparo de arma de fogo, atingindo o interno”, comunicou a secretaria, em nota.
A Sejus informou ainda que o homem recebeu os primeiros socorros de imediato, sendo levado ao Hospital Rio Doce, em Linhares. No entanto, ele não resistiu ao ferimento e foi a óbito.
Caso será investigado
Diante do ocorrido, o secretário de Estado da Justiça, Rafael Pacheco, afirmou que um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) será aberto para apurar todas as circunstâncias do fato.
“É atribuição do policial penal atuar pela segurança da unidade e impedir que fugas aconteçam. O policial está amparado pela excludente do estrito cumprimento do dever legal e pode fazer uso da força, quando necessário. Entretanto, é preciso esclarecer completamente como e o que motivou o disparo. A Corregedoria acompanha o caso e o servidor deverá ser afastado das funções durante a apuração em curso até que as conclusões sejam apresentadas”, disse o secretário.
A unidade prisional informou que presta apoio à família do interno. O fato foi comunicado aos órgãos que compõem o sistema de justiça.
O policial penal se apresentou voluntariamente na 16ª Delegacia Regional de Linhares, entregou a arma que estava em sua posse para ser periciada pela Polícia Científica e foi liberado. O inquérito será instaurado na Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Linhares.