Mais de 20 acidentes são registrados por dia no Estado

0

377_300x200_pli150412na1210_nestorrrrrr-632076-4f8b005ebd7b9

A BR 101 é considerada a mais perigosa e concentra quase 40% das ocorrências

Priscilla Thompson
pessini@redegazeta.com.br

As rodovias federais que cortam o Estado registram uma média de 21 acidentes por dia. E, só no ano passado, eles foram responsáveis por causar a morte de 262 e deixar cerca de outras 3,8 mil pessoas feridas. Em relação a 2011, o número de acidentes caiu, mas ainda está longe de tranquilizar motoristas que trafegam pelas estradas.

991_cda040213gz3127-815870-5110decdb4b72Levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostra que a queda no número de acidentes foi de 3,3% entre 2011 e 2012, passando de 7.962 para 7.696 registros. Já o número de feridos caiu 27%; e o número de mortos, uma redução de 17%: foram 262 mortes em 2012, e 317 em 2011.Por ser mais extensa e ter tráfego mais intenso, a BR 101 é considerada a rodovia mais perigosa no Estado. Em apenas quatro trechos dela estão concentrados quase 40% dos acidentes, sendo a maioria na área conhecida como Rodovia do Contorno.

Queda histórica

Ainda assim, o inspetor Walber Oliveira, chefe da Seção de Policiamento e Fiscalização, ressalta a importância da queda nos números do ano passado. “A redução faz parte de um grande esforço. O número de veículos aumenta ano a ano, e as rodovias não receberam ampliação semelhante”, explica.

Leia também

Engavetamento deixa dois homens mortos e 16 pessoas feridas no viaduto de Carapina

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no Espírito Santo, Halpher Luiggi, ressalta os investimentos feitos na área.

“Só no ano passado, instalamos radares em 37 pontos, e vamos instalar em outros 16 pontos. Mantivemos nossas quatro balanças de pesagem de carga funcionando quase o ano todo. E isso tem impacto direto no número de acidentes. Certamente teremos boas surpresas no próximo ano”, diz Halpher Luiggi.

Radar para inibir excesso de velocidade

O superintendente do Dnit no Espírito Santo, Halpher Luiggi, afirma que o órgão estuda implantar um radar em frente ao Parque de Exposições de Carapina para que os motoristas não excedam a velocidade quando estiverem próximos ao viaduto, local onde aconteceu o acidente ontem. “A maioria dos acidentes no trecho está associado a veículos de carga em alta velocidade. Nos dois sentidos da via, os semáforos do entorno já estão com fiscalização eletrônica de velocidade”.

O órgão aguarda que a Justiça decida sobre a questão da privatização da BR 101 para que a duplicação do trecho seja realizada, além de outras melhorias. O segundo colocado no leilão contestou o resultado na Justiça, que deve julgar a liminar ainda em fevereiro.

“Caso a Justiça postergue a decisão, o Dnit vai alargar algumas faixas de rolamento de duas para três. Além disso, o condutor que sai da Reta do Aeroporto sentido Serra não vai mais precisar passar ao lado do viaduto. Vamos abrir um caminho para que a pista passe por baixo do viaduto, para evitar o conflito de veículos que saem do Contorno e da Reta do Aeroporto”, explica.

Halpher diz que a solução para o trecho será a construção do Contorno do Mestre Álvaro. “O edital de licitação será publicado no primeiro semestre. Com essa obra será possível retirar o tráfego pesado de Carapina”. A previsão é que a obra seja concluída em até dois anos.

Nesta semana, será iniciada a reforma de toda a sinalização das BRs no país. O programa deve investir mais de R$ 4 bilhões na revitalização de mais de 58 mil quilômetros de rodovias em todo o país.

Análise

O número de acidentes poderia ser menor se o tráfego pesado não fosse misturado com o tráfego de passageiros, mas isso é praticamente impossível porque as cidades dependem do transporte de cargas. É preciso pensar alternativas como a construção do Contorno do Mestre Álvaro, na Serra, para que o fluxo de veículos pesados não tenha ligação direta com o trecho urbano. É necessária a melhoria na infraestrutura das vias para acompanhar o crescimento das cidades. No caso do acidente de ontem, a geometria do local não está adequada, já que existe a confluência de duas vias de tráfego intenso.

Maria Inês Faé – Engenheira de tráfego e professora da Ufes

OS DADOS

BR 101 e BR 262

Acidentes
Foram 7.696 acidentes em 2012, apenas 3,3% a menos que em 2011. A média é de 21 acidentes por dia só nas rodovias federais que cortam o Estado

Sem vítimas
Cerca de 65% dos acidentes não deixaram vítimas. Geralmente, são os que envolvem colisões traseiras de menor repercussão

Feridos
Essas ocorrências deixaram 3.895 pessoas feridas, em 2012. Foram 181 a menos que no ano anterior

Mortes
O número de mortes também caiu no ano passado, mas continua alto. Foram 262 óbitos em 2012, contra 317 em 2011

Álcool x direção
200 acidentes ocorridos no ano passado foram provocados, comprovadamente, por ingestão de álcool. E oito pessoas morreram vítimas dessa situação

Ano anterior
Em 2011, foram 242 acidentes e cinco mortes

 

Fonte: A Gazeta