O Município de Águia Branca presente na Seleção do Concurso Nacional Revelando os Brasis V.

0

1797034_699292663436752_641113953_nMais uma vez o Município de Águia Branca ganha destaque no Cenário Cultural Capixaba, com a seleção de um representante do Município no Concurso Revelando os Brasis.

No Estado do Espírito Santo foram dois selecionados, Luciano por Águia Branca e Victorhugo por Vargem Alta.

 Nome: Luciano Guimarães de Freitas

História: Vida, Saudosas Lembranças…

Cidade/Estado: Águia Branca/Espírito Santo

Nome: Victorhugo Passabon Amorim

História: Vinillis Frutiferis

Cidade/Estado: Vargem Alta/Espírito Santo

Segundo Luciano Guimarães, a seleção em um Edital Nacional com alto nível de participação e alta gama de profissionais do audiovisual e jornalismo brasileiro em sua Comissão de Seleção, bem como a possibilidade de produzir um primeiro filme com suporte e apoio profissional é a realização de um sonho, assim como tem que se aplaudir a iniciativa do Instituto Marlin Azul na democratização do acesso a produção audiovisual. Fiquei muito feliz com a seleção, esta conquista é uma prova de nosso trabalho e dedicação, e de que vale a pena acreditar nos sonhos por mais que alguns pareçam tão distantes.

Estamos desde o ano de 2004 quando foi criado o Cineclube Eco Social, atuando com o desenvolvimento cultural por meio do audiovisual no interior do Estado. Ao mesmo tempo, em que por mais que tenhamos no ano de 2013 sido aprovados em dois Editais Estaduais de Projetos, e agora pela primeira vez em um Edital Nacional, continuamos a carecer de um apoio e diálogo com a Prefeitura Municipal de Águia Branca por meio de seu Departamento de Cultura, continuamos na esperança de que haja um diálogo junto a Prefeitura, e apoio para os artistas e manifestações culturais do Município.

Quanto ao filme “Vida, uma Saudosa Lembrança”; pretendemos entrevistar pessoas que já tenham vivenciado a experiência de perder um ente querido, e por meio dos materiais captados, editar um documentário que utilizará das entrevistas e algumas encenações das cenas descritas pelos entrevistados ou dos lugares que referenciem os fatos relatados ou se relacionem com os fatos.

 Mais que abordar a perda, desejamos abordar o significado da lembrança, a importância do tempo em que às pessoas estiveram presentes, o quanto elas significaram para que hoje, quando já não estão mais neste mundo físico sejam eternas em nossos sentimentos , lembranças. A partir desta história construiremos o roteiro do documentário, e desejamos envolver toda a população do Município de Águia Branca, são diversas as possibilidades, desde filmar cenas no Cemitério Polonês e divulgar este espaço histórico e cultural do Município, bem como por meio do documentário homenagear pessoas que se representam na saudade e nas lembranças, e no contexto histórico e cultural de Águia Branca. Tudo irá se desenvolver a partir do curso que faremos no Rio de Janeiro pelo Projeto Revelando os Brasis e das orientações que receberemos.

“Vida, uma saudosa lembrança” busca adentrar no universo da saudade e das lembranças do que vivemos enquanto corpos físicos e emocionais, abordando a importância da presença do outro, os ensinamentos, as vivências comuns. O documentário não busca abordar a partida ou a morte, mas o vazio da presença deixado por aqueles que partem de nossa presença neste mundo.

Não somos datas, mas somos um traço infinito entre o nascer e o morrer… Vida, uma saudosa lembrança é um olhar e encontro de histórias tão incomuns, mas que são capazes de nos produzir semelhantes sentimentos. Saudades… Até do que não vivemos com o outro…

 Revelando os Brasis V.

A Comissão de Seleção do Revelando os Brasis divulgou a lista dos 20 moradores de cidades com até 20 mil habitantes selecionados no V Concurso Nacional de Histórias. Os autores participarão de oficinas de formação e de realização audiovisual, no Rio de Janeiro, onde estudarão todas as etapas de produção e depois voltarão para os municípios de origem para transformar as histórias em filmes.

O Revelando os Brasis é realizado pelo Instituto Marlin Azul com patrocínio da Petrobras através da Lei Rouanet, com parceria estratégica da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, parceria do Canal Futura e apoio da TV Brasil.

Com maior número de inscritos entre todas as edições, o quinto concurso de histórias do projeto recebeu 951 inscrições. Todas as cinco regiões brasileiras tiveram representantes selecionados: Nordeste (08), Sudeste (04), Sul (04), Norte (03) e Centro-Oeste (01). Quinze estados têm histórias escolhidas: Ceará (03), Paraná (02), Espírito Santo (02), Paraíba (02), Bahia (01), Rio Grande do Sul (01), Pará (01), Minas Gerais (01), Tocantins (01), Rondônia (01), Santa Catarina (01), Mato Grosso do Sul (01), Maranhão (01), Rio Grande do Norte (01) e São Paulo (01).

 

A quinta edição selecionou histórias vindas das seguintes cidades: Barra de Santa Rosa e Aparecida (Paraíba), Arroio do Sal (Rio Grande do Sul), Palmeiras (Bahia), Meruoca, Aiuaba e Uruburetama (Ceará), Arraias (Tocantins), Céu Azul e Douradina (Paraná), Tabapuã (São Paulo), Candeias do Jamari (Rondônia), Irineópolis (Santa Catarina), Águia Branca e Vargem Alta (Espírito Santo), Brazópolis (Minas Gerais), São Domingos do Azeitão (Maranhão), Santarém Novo (Pará), Ladário (Mato Grosso do Sul) e Lajes (Rio Grande do Norte).

Oficinas – Os autores das histórias selecionadas participarão das Oficinas de Formação e Realização Audiovisual no Rio de Janeiro, entre os dias 09 e 23 de fevereiro, com todas as despesas pagas. O curso é composto por aulas de introdução à linguagem audiovisual, roteiro, direção, produção, fotografia, direção de arte, som, edição/ finalização, pesquisa, mobilização, direitos autorais e comunicação colaborativa.

Após as oficinas, os selecionados retornarão as suas cidades para transformar as histórias em filmes com até 15 minutos de duração. Nessa fase, eles contarão com o apoio de uma produtora regional que irá providenciar os equipamentos de câmera e de som digitais, com operadores.

Os filmes – Nas quatro primeiras edições do projeto, entre 2004 e 2013, foram produzidas 160 obras, entre ficções, documentários e uma animação. Nas quatro edições, os filmes realizados foram apresentados nas comunidades através do Circuito Nacional de Exibição Revelando os Brasis, que leva uma tela de cinema para os municípios. As produções também são exibidas em um programa de TV realizado em parceria com o Canal Futura. Na fase seguinte, os filmes do projeto são lançados em DVD com distribuição gratuita entre organizações sociais e culturais, bibliotecas, universidades e cineclubes de todo o Brasil.

 

O Revelando os Brasis promove a democratização do acesso aos meios de produção audiovisual, oferecendo aos moradores das pequenas cidades a possibilidade de contar suas próprias histórias. O projeto é um instrumento de registro da memória e da diversidade cultural do país e revela novos olhares sobre o Brasil.

Números do Revelando os Brasis

951 inscrições foram realizadas na quinta edição;

166 inscrições de moradores de Minas Gerais, estado com maior número de inscritos;

342 histórias vindas do Nordeste, região com maior número de participantes nesta quinta edição;

2.501 inscrições foram contabilizadas nas primeiras quatro edições do concurso;

160 obras, entre documentários, ficções e animação, foram produzidas em quatro edições;

240 sessões de cinema foram realizadas nas cidades e capitais dos estados durante as quatro edições do Circuito de Exibição.

Saiba mais – O Instituto Marlin Azul é uma entidade sem fins lucrativos. Criada há 14 anos, a instituição promove ações comprometidas com a cultura, a arte e a educação através da democratização do acesso aos bens culturais audiovisuais. Em parceria com órgãos públicos, instituições sociais e organizações privadas, o Instituto desenvolve projetos de formação, produção e difusão audiovisual para todos os públicos.

 

Fonte: http://www.revelandoosbrasis.com.br/index.php?id=/noticias/materia.php&cd_matia=795

 

Por Ricardo Madureira.