Polícia Civil compra dois mil novos coletes para distribuir na corporação

0

A Polícia Civil recebeu nessa segunda-feira (30), dois mil novos coletes balísticos que serão distribuídos entre os servidores da instituição. A compra foi necessária para atender a entrada dos novos policiais civis. Inicialmente foram adquiridos coletes modelos masculinos nos tamanhos P, M, G e GG. Os coletes femininos ainda estão em fase de licitação.

Os coletes estão sendo catalogados pela Delegacia de Armas e Munições (Dame) e a distribuição ocorrerá a partir desta quinta-feira (02). De acordo com o chefe de Polícia, delegado Joel Lyrio, a distribuição dos coletes será realizada, primeiramente, entre os policiais que atuam nas delegacias especializadas como a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Núcleo de Gerenciamento de Operações Táticas e Instrução (Nugoti). Em seguida, haverá a distribuição para os demais policiais que atuam em outras delegacias, inclusive as do interior do Estado. Para receber o material, os policiais serão intimados, em data específica, a comparecer à Dame.

Novas armas 

A Polícia Civil também está investindo em armamento. Ao todo, 750 pistolas de calibre .40 estão em fase de licitação para reforçar o trabalho dos policiais. A Polícia dispõe, ainda, de 70 exemplares desse armamento em estoque para distribuir entre os servidores da instituição.

Programa Estado Presente

Os novos coletes e as novas armas fazem parte da reestruturação da Polícia Civil contemplada pelo programa de segurança pública “Estado Presente”, desenvolvido pelo Governo do Espírito Santo.  O investimento na infraestrutura e na tecnologia para o policial trabalhar é um dos pilares do programa. Neste ano, foram investidos 20 milhões para equipar a polícia técnico-científica e, em 2011, foram investidos 70 milhões nas polícias.

O programa atua em 20 regiões consideradas mais críticas no Estado. Elas recebem mais atenção do Governo com ações das diversas secretarias como social, saúde e segurança. Um outro pilar é a recomposição do efetivo.

Para o governador Renato Casagrande o programa Estado Presente é ousado.  “O Estado Presente trabalha a proteção social. O programa prevê o investimento na reestrutura das polícias, em tecnologia e também a recomposição do efetivo policial”, informou.