Policia Militar e vereadores realizam reunião para discutir a Segurança Publica de Barra de São Francisco

0

DSC_0001Aconteceu na tarde desta  segunda feira, 5 de março uma reunião com o comando do 11º Batalhão da Policia Militar e os 13 vereadores  de Barra de São Francisco.

A reunião aconteceu na Câmara com a presença do subcomandante do 11º Batalhão da policia Militar  Major Fabio e o  capitão Viana, comandante da Companhia de Polícia Militar, que abrange Barra de São Francisco/ES e Água Doce do Norte/ES.

O principal motivo da reunião foi as medidas que estão sendo tomadas na  Praça Senador Atílio Vivacqua, no centro de Barra de São Francisco/ES,que passou a ser o foco das atenções das autoridades locais. O local estava dominado por traficantes, bêbados, prostitutas, vadios, pedintes e usuários de drogas, situação que acabou espantando do local as famílias que ali se dirigiam para conversar e levar seus filhos para brincar.

Além de tudo isso, o local estava se transformando numa crackolândia e ponto de prostituição de menores. Muitas vezes adolescentes eram flagradas durante o dia sentadas nos bancos da praça exibindo suas partes íntimas e chamando quem passasse para fazer sexo. Na maioria das vezes essas menores apresentavam sintomas de embriaguez ou de uso de drogas.

DSC_0026

Durante a reunião foram discutidas as medidas que vão ser implantadas, onde a principal delas é a retirada dos banheiros que são usados como ponto de prostituição e uso de entorpecentes.

O major Fabio disse que em reunião com o prefeito Luciano Pereira,  o prefeito informou que vai ser instalada uma nova iluminação para que os pontos mais escuros não sejam usados para praticar atos ilícitos, além de a realizações de eventos para trazer as famílias para a praça

O major informou ainda que a policia Militar esta juntamente com o poder publico querendo instalar uma unidade de destacamento em um ponto próximo a praça para que a policia esteja 24 horas realizando a segurança do local.

Policiamento do centro

Outra importante medida para o combate à criminalidade foi a criação do policiamento do centro da cidade, cujo comando está sob-responsabilidade do sargento Paulo Sérgio. Este policiamento já está em pleno funcionamento e abrange a praça central.

É preciso união de todos

O capitão Viana disse que a solução para a praça é a atuação conjunta de vários segmentos sociais, incluindo os órgãos da prefeitura municipal, Ministério Público, judiciário por meio do comissariado de menores, e a população. No caso da prefeitura, entre tantas formas de ajudar, a colocação de vigias no local seria de extrema importância.

Segundo ele, só com a poda das árvores já houve uma grande queda na presença de pessoas indesejáveis na praça graças à iluminação. Mas ele deixa claro que não é só isso. Várias outras medidas serão tomadas, inclusive já foi iniciado o rebaixamento de uma das laterais da praça para que a viatura policial possa chegar e marcar presença, espantando dali os bandidos.

Outra medida a ser tomada, de acordo com o capitão Viana, será a utilização da rua morta existente no final da praça, onde existe também um bar. “Aquela rua sem movimentação de veículos, servindo apenas para estacionamento de motos, facilita alguns atos ilícitos, como venda de drogas, prostituição, dentre outros. Além disso, há denúncias de venda de bebida alcoólica para menores”.

Ele acrescenta que além de pavimentar e abrir àquela rua ao trânsito de veículos é preciso que seja feita fiscalização constante nos bares e tomar providências contra os donos de estabelecimentos que desrespeitam as leis vendendo bebidas para menores.

Paulo Sérgio enfatizou que para tudo dar certo é preciso a interação da população. “Nós não podemos em todos os lugares ao mesmo tempo. Por isso é importante que as pessoas que observarem alguma coisa estranha próximo de suas residências, entrem em contato com a polícia pelo 190 ou, se não quiser se identificar, pelo Disque Denúncia 181”.

“A partir da criação do policiamento do centro”, explica o sargento, “houve uma queda nas ocorrências. Inclusive, os assaltos, pequenos furtos e outras ilicitudes ocorridas no centro reduziram em decorrência da presença constante da polícia. Mas acabar é impossível, pois o policial não tem como ser onipresente”.

O sargento Paulo Sérgio destacou que em pouco tempo de atuação no centro já observou que a maioria dos crimes ocorre por descuido da vítima. “É comum a gente encontrar motos com chaves na ignição, assim como veículos abertos sem ninguém por perto, bicicletas sem cadeados, pessoas com bolsas abertas etc. Tudo isso facilita a ação dos bandidos. Para reduzir o índice de criminalidade é preciso que as pessoas tomem mais cuidado”.

O secretário municipal de Urbanismo e Saneamento, Olívio Pereira dos Santos Júnior, disse em entrevista ao site Boca Larga que já está sendo providenciada a colocação de vigias na praça. Esses vigias, segundo ele, serão uniformizados, para não ser confundidos com visitantes normais da praça.

“Serão três vigias uniformizados. Um que atuará durante o dia e os outros dois vão atuar à noite, com revezamento”, garante Olívio. Além de Olívio, a secretária municipal de Meio Ambiente, Adriana Herzog também está dando o seu apoio na luta em prol da devolução da praça ao povo francisquense, e há possibilidade de envolvimento também do secretário de Assistência Social.

fonte/ www.bocalarga.com

DSC_0003 DSC_0004 DSC_0005 DSC_0006 DSC_0011 DSC_0014 DSC_0015 DSC_0017 DSC_0021