Secretaria de Estado da Cultura aprova convenio com projetos dos Cineclubes de Águia Branca e Barra de São Francisco

0

972483_664510130248339_485621851_nÁGUIA BRANCA E BARRA DE SÃO FRANCISCO APROVAM PROJETO NO FUNDO ESTADUAL DE CULTURA DO ESPÍRITO SANTO.

“O Direito de sonhar é o papai e mamãe de todos os direitos, e o que dá de alimento aos demais.” (Eduardo Galeano)

1479682_664510123581673_627320726_nO Cineclube Imagem em Movimento do Município de Barra de São Francisco liderado por Renata Vial e o Cineclube Eco Social do Município de Águia Branca liderado por Luciano Guimarães de Freitas foram aprovados neste dia 20 de novembro no Edital de Cineclubes do Fundo Estadual de Cultura – Secretaria de Estado da Cultura. Através deste convenio serão realizados eventos  onde os projetos receberão o prêmio de 15.000,00 R$ para investirem em suas atividades.

1473852_664510116915007_1793427091_n

O Fundo Estadual de Cultura é um dos maiores fomentos culturais promovidos pelo Governo do Estado do Espírito Santo por meio de sua Secretaria Estadual da Cultura. Na edição de 2013, o fundo inovou , regionalizando 12 Editais, aonde os projetos concorreram divididos por Municípios até 30 mil habitantes, de 30 a 100 mil e acima de 100 mil. Este modelo possibilitou maior democratização e acesso ao Fundo, pelas Regiões e Territórios do Estado do Espírito Santo.

Carece agora, que os Poderes Públicos Municipais possam promover capacitações para a sociedade civil organizada e os agentes culturais nos Municípios, para que eles se capacitem em como escrever e elaborar um projeto e aonde captar recursos.

O Cineclube Imagem em Movimento foi fundado no ano de 2007, e teve uma articulação inicial do cineclubista Luciano Guimarães e Renata Vial, por conta de um vídeo produzido por Renata que estava na internet.

 

Segundo Luciano, falar em cineclube em Barra de São Francisco há que se falar em Renata Vial, que sempre se dedicou a esta área, mesmo diante da carência de apoio ou da falta da compreensão da importância do Cineclube.1462016_664510126915006_1710271518_n

Mas antes de se falar em Renata ou Luciano, a maior referência cineclubista em Barra de São Francisco, é o francisquense Dr. Antônio Claudino de Jesus, que sempre foi o incentivador dos cineclubes no interior do Estado e que hoje Preside a Federação Internacional de Cineclubes presente em 75 países.

Luciano diz: “O Claudino, é a nossa maior inspiração e referência, filho do interior, da cidade Barra de São Francisco, é um ícone da cultura capixaba quem sempre nos incentivou a acreditar no acesso ao cinema enquanto arte e direito do cidadão.”

 

O cineclubismo na Região Noroeste teve início com a fundação do Cineclube Eco Social no Município de Águia Branca no ano de 2004, através de uma Oficina de Formação Cineclubista por meio de um Convênio da Secretaria de Estado da Cultura com a Secretaria de Educação e Cultura de Águia Branca.

Do Cineclube Eco Social originou-se o Cineclube em Barra de São Francisco que depois veio a originar o Cineclube Alto Cine em Alto Rio Novo.

1479811_664510113581674_1579516_n

Atualmente o Cineclube Eco Social ocupa a cadeira da Diretoria de Memória do Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, representado por Luciano Guimarães de Freitas.

 

 

O Cineclube Eco Social tem destacado na militância em defesa do fomento de políticas públicas para a cultura na Região Noroeste, ocupando atualmente a representação do Noroeste no Plano Estadual de Cultura e sendo o idealizador junto com a Associação Polonesa de Águia Branca e o Comitê Noroeste de Cultura do projeto Circuito Cultural Noroeste, também aprovado no Chamamento Público da Secretaria de Estado da Cultura 001/2013.

Neste ano o projeto do Cineclube Eco Social no Fundo Estadual de Cultura prevê um Circuito Regional de Formação Cineclubista, com oficinas sobre a história do cineclubismo e como formar um cineclube e exibição de filmes nas comunidades, inicialmente o projeto irá passar por Mantenópolis, Água Doce do Norte e São Domingos do Norte, mas tanto o projeto e tanto o cineclube estão abertos para colaborar com outros Municípios para criação de outros Cineclubes na Região.

O cineclube é um espaço de acesso ao cinema, de formação de público para o cinema, é um espaço público por excelência na construção de espaços de fomento do senso crítico. Não é apenas uma exibição, mas um encontro de pessoas para ver um filme e a partir deste encontro de pessoas torna-se um caldo para mudanças de comportamento, formação de idéias e pensamentos, luta por melhores condições de vida, que se dão após o filme durante o debate sobre os temas abordados pela exibição do filme entre os participantes.

Em conversa conosco Luciano fez os seguintes destaques:

Foi com muita alegria que recebemos a notícia das aprovações, costumo dizer; com lágrimas de alegria nos olhos e o coração a mil. Não tem sido fácil produzir atividades culturais em nossa Região, carecemos de apoio das Prefeituras, do entendimento do Poder Público Municipal, do quanto é importante investir em atividades culturais. No caso do Cineclube, é um projeto de baixo custo, mas que pode reunir todas as atividades culturais possíveis.

Infelizmente, eles não entendem a importância de jovens ou adolescentes encontrar-se em espaços de exibição ou culturais, se identificar com as cenas do filme, e refletir sobre a sua realidade. Vivemos em nossa Região um extermínio da juventude, que sem acesso a referências sociais e culturais, se perdem por outros caminhos. E a cultura é isso, é a consolidação dos valores sociais, e esta base dos valores sociais e familiares está se perdendo hoje em dia.

Mais que exibir um filme, queremos provocar encontros entre esta juventude e pensarmos a construção de atitudes que possam mudar a nossa realidade, provocando interferências mútuas.

Eu gostaria de deixar em aberto para todas as Escolas da Região, para todas as Prefeituras, que desejarem conversar sobre o Projeto e levar estas ações para os seus espaços, estamos a inteira disposição para contribuir e colaborar.

Não é possível, que em uma região, aonde há tantas manifestações culturais que vão desde um Grupo Folclórico como o Mineiro Pau, até músicos, escritores, atuantes na arte do cinema; não é possível que possamos vivenciar o empobrecimento cultural de nossos jovens, não é possível que as Gestões Municipais não se atentem para construir formas de apoio para a cultura e o seu desenvolvimento.

Barra de São Francisco, por exemplo, já comporta uma Lei de Incentivo Fiscal à Cultura, que poderia possibilitar que os músicos, escritores e outros artistas dos Municípios, possam produzir seus CDs, livros, atividades e compartilhar com toda esta juventude e população.

Não é possível, que em um Município como Águia Branca, aonde há tanta diversidade cultural como Mineiro Pau, Folia de Reis, Músicos, Grupo Polonês, Artesanato, Cineclube e outros, que a Prefeitura apenas se paute como projeto para a juventude o Projeto de Ensino Militar que tem acontecido no Município.

As Gestões dizem não possuem recursos financeiros, mas os projetos culturais são baratos e de grande retorno social. E fora isso, há recursos estaduais e federais para isso, porém os Municípios precisam criar seus Sistemas Municipais de Cultura, precisam ter projetos, para captar recursos nos Fundos e Incentivo Estadual e Federal.

A Gestão cultural, geralmente tem sido relegada a segundo plano, dando-se maior atenção a questões administrativas, econômicas e políticas das cidades. Entretanto, é importante notar que esses aspectos estão relacionados entre si e perpassam pela questão cultural. Mas as políticas culturais nos Municípios, em geral, não têm continuidade de uma gestão para a outra, inviabilizando o planejamento em longo prazo.

Não há estruturas de gestão que permitam e acompanhem o desenvolvimento da área cultural dentro da diversidade e complexidade existentes na realidade da Região Noroeste do Espírito Santo, de cada cidade com sua identidade e memória.

 

O que posso falar Ricardo, é que estamos abertos a dialogar, desejamos fomentar um Coletivo Regional de Cultura com jovens e manifestações culturais, aliás, já temos um Comitê Noroeste que tem se destacado na sua atuação desde a realização do Fórum Municipal de Cultura de Ecoporanga e de Águia Branca, mas ficamos engessados na carência de abertura de diálogo das Prefeituras Municipais. Queremos conversar com as Prefeituras da Região, ajudar a construir um desenvolvimento cultural para curto, médio e longo prazo. Queremos contribuir para mudarmos e qualificarmos o desenvolvimento da cultura nos Municípios. Muitas vezes, chego a ser até incisivo, por conta da luta pela cultura, pelas carências e falta de apoio que padecemos para esta área. Gostaria de deixar nosso e-mail (lucianoprodcultural@gmail.com / eco_social@cineclubes.org.br ), no Facebook, se digitarem www.facebook.com.br/interferenciasculturaisab dá para localizar uma de nossas páginas aonde onde temos postados nossas atividades. Há ainda o blog www.cineclubando.blogspot.com .

No entanto, continuamos abertos para o diálogo. Lembro das palavras do filósofo Eduardo Galeano: “O Direito de sonhar é o papai e mamãe de todos os direitos, e o que dá de alimento aos demais.”

Por Ricardo Madureira