Telexfree rebate policial militar que fez denúncia

0

downloadEmpresa reafirma vender telefonia, e diz que PM não recebeu por anunciar indevidamente: ele comprou R$ 2,8 mil em planos da empresa

A Telexfree afirma que o VoIP (serviço de telefonia via internet) não tem nenhum problema de qualidade. A empresa rebate a reclamação do policial militar divulgada, ontem, em A GAZETA. O funcionário público afirma ter contratado o plano da empresa, porém não consegue realizar chamadas.

Ele comprou R$ 2,8 mil em planos da empresa para se tornar divulgador e disse ao jornal que estranhou o fato dos anúncios que publica na internet não levarem a lugar nenhum.

Em nota, a Telexfree disse que todo cliente interessado em adquirir pacotes VoIP podem testá-los por uma hora de forma grátis e que disponibilizou essa opção ao PM. A empresa também diz que o VoIP oferecido tem qualidade e que por isso é usado por diversas companhias.

A Telexfree também afirma que fornece um texto padrão para que os anúncios sejam efetuados. “O local para a publicação dos anúncios é escolhida pelos divulgadores, conforme consta na cláusula 5.4.2 do regulamento geral, que se encontra registrado no Cartório de Registro de Títulos e Documentos de Vitória”.

Em relação às queixas do PM sobre os anúncios, a Telexfree afirma que o divulgador está publicando de maneira indevida. Isso faz com que a publicidade fique com erro. Segundo a nota, o policial está colocando letras a mais no link de divulgação.

A empresa acrescenta que o site adfree.biz, divulgado na matéria de ontem, não está entre as páginas sugeridas pela Telexfree para a colocação de anúncios gratuitos.

A Telexfree afirma que, mesmo se tivesse indicado o site, não se responsabilizaria pelo resultado, “já que a escolha é do próprio divulgador e quando não é possível aferir a postagem do anúncio por erro no link, o sistema do portal da Telexfree indicará erro ou falta de confirmação da postagem”.

Na nota, a empresa ainda informa que se “todos os divulgadores podem utilizar seu direito de arrependimento, o que encontra-se, inclusive regulado no Código de Defesa do Consumidor e também está previsto no Regulamento Geral dos Divulgadores. Assim, a Telexfree fará o ressarcimento”, caso ele venha a solicitar.

A empresa é suspeita de praticar crime contra a economia popular. A possível irregularidade é investigada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Estado.

 

Fonte: A Gazeta