Moradora da Vila Luciene morreu por dívida de “100? reais:Acusado já está preso

0

presoUma equipe de investigadores de crimes contra a vida da Serra, juntamente com a polícia civil de Barra de São Francisco, prenderam na última segunda-feira, 25 de março, através de um mandado de prisão expedido pelo juiz da 1ª vara criminal, Leandro Adonias da Silva, vulgo “Di Menor”. Leandro matou a tiros no dia 22 de fevereiro de 2013, a moradora da Vila Luciene Andréia Honório Pedro.

Na delegacia de Barra de São Francisco Leandro prestou declarações e disse que no dia que ocorreu o crime (22 de fevereiro), ele estava na casa de sua companheira na Vila Luciene e a noite foi até a casa de seu primo Edmar e ao chegar, encontrou com Edmar, Daniel, Edson vulgo “Sabugo”, Roberto e o adolescente W, de 17 anos que estavam ingerindo “cachaça”, momento que Leandro portava uma garrucha 22 e chamou todos para irem com ele até a casa de Andréia para dar um “susto” nela, pois elalhe devia a quantia de R$ 100 reaise não pagava.

Os cinco envolvidos aceitaram o convite e foram juntamente com Leandro a pé até a residência de Andréia e ao chegar ao local, Daniel, Sabugo e Roberto ficaram no quintal da casa mais afastados só observando. Edmar bateu na janela da frente da casa e chamou por Andréia, enquanto o adolescente W, e Leandro se posicionaram em frente a porta da casa, porém ela não respondeu ao chamado de Edmar, não abrindo a porta, momento que o adolescente W, de 17 anos arrombou a porta da residência com um chute e Leandro com a garrucha empunhada, posicionou-se na entrada da porta da casa e efetuou um disparo contra Andréia que estava com um facão na mão, Leandro disse em depoimento que achou que havia errado o disparo, pois Andréia respondeu imediatamente após o tiro que iria pagar a dívida, e que só depois do disparo, percebeu que a filha de colo de Andréia estava na residência.

Após os fatos ocorridos, Leandro e seu primo Edmar correram para o meio do mato, enquanto os demais tomaram outro rumo. Leandro disse que dispensou a arma envolta em sua jaqueta de cor preta no matagal, próximo há algumas bananeiras e que nenhum dos envolvidos estava de “Toucas Ninja” como foi divulgado por pessoas da localidade e que ficou no mato até o dia amanhecer e pagou um frete no valor de 50 reais até Água Doce do Norte onde ficou escondido durante uma semana e depois fugiu para Nova Carapina I na Serra onde ficou escondido na casa de um tio, onde foi surpreendido pelos policiais civis que efetuaram a prisão, fortalecido com o mandado judicial.

Depois de ter prestado depoimento na delegacia de Barra de São Francisco, Leandro foi conduzido para o CDP de São Domingos onde já se encontram os demais envolvidos.

Por: Admilson Brum