Universitária tem queimaduras de 2º grau após usar álcool em gel no ES

0

Médicos e o Corpo de Bombeiros alertam para os perigos em casa durante o período de quarentena por conta do Novo Coronavírus

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Uma universitária de Cariacica teve os braços queimados depois de usar álcool em gel. A mulher foi parar no hospital com queimaduras graves, de segundo grau.

De acordo com a estudante de Direito, o acidente aconteceu dentro de casa, na semana passada. Ela contou que sentiu a queimadura, mas não conseguiu ver as chamas.

“Quando eu me dirigi para o fogão, para fazer meu almoço, aquele fogo explodiu todo em mim, parecia uma coisa de filme de terror, uma coisa que eu nunca vi na minha vida. Na hora eu sentia que estava queimando muito, só que eu não conseguia ver as chamas”, contou.

Após o ocorrido, a estudante procurou atendimento no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra. De acordo com a médica Marcelle Barbosa, que prestou atendimento à jovem, em caso de acidentes é preciso agir rápido.

“É uma chama invisível, a gente acaba não percebendo e começa a sentir um ardor. Diante disso, o ideal é colocar a área queimada rapidamente debaixo da água corrente e se encaminhar para um centro de tratamento”, disse.

Desde o acidente, a universitária vai ao hospital todos os dias fazer curativos. Ela contou que não entende porque acabou atingida pelo fogo cerca de uma hora depois de ter usado o álcool. A especialista explicou que as queimaduras após o manuseio do produto podem ocorrer, mas o tempo máximo é de 15 a 20 minutos.

“Depois de higienizar a mão com álcool em gel, você não pode entrar em contato com nenhuma fonte de calor. Nem fogão, nem churrasqueira. A gente pede um intervalo de 15 minutos. Por conta da consistência do gel, ele demora um pouquinho mais para evaporar, então isso pode acabar causando queimaduras se você entrar com essas fontes de calor”, explicou a médica.

Esse não foi o único caso de queimaduras causadas pelo uso de álcool em gel registrado na Grande Vitória. Segundo a médica, nas duas últimas semanas houve um aumento de 13% no número de acidentes semelhantes. A especialista acredita que esse aumento seja resultado de duas situações: o confinamento e o uso mais frequente do álcool 70%.

“Com o pessoal dentro de casa, crianças principalmente, o perigo é maior para a ocorrência de acidentes e queimaduras no ambiente doméstico. Além disso, existe o uso do álcool em gel para higienizar as mãos por conta do Coronavírus e o uso do álcool líquido 70%, então todos esses fatores nos leva a ficar preocupados”, disse.

A médica Marcelle Barbosa alerta que o uso do álcool em gel é importante para prevenção da covid-19, mas em casa, o mais interessante é lavar as mãos com água e sabão e é preciso estar atento para evitar os acidentes.

As recomendações também foram feitas pelo Corpo de Bombeiros.

“Dentro de casa não é aconselhável a utilização de álcool em gel. É aconselhável a utilização de sabão, sabonetes e detergentes para a limpeza das mãos. Eles tem o mesmo efeito para poder eliminar o vírus”, explica o Tenente-Coronel Wagner do Corpo de Bombeiros.

Não estocar grande quantidade de álcool em casa, e tomar cuidado com as  crianças também são algumas das orientações nesse período de confinamento. “Cuidado também com os produtos de fabricação doméstica, não usar esse tipo de álcool, porque a gente não sabe a procedência e nunca acender uma churrasqueira com álcool 70%”, explicou a médica.

 Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória / Record TV