prefeitura francisquense é objeto de desejo de políticos diferentes

0

As eleições deste ano que dará direito ao eleitor de escolher o novo prefeito de Barra de São Francisco, muito diferente da última que reelegeu Waldeles Cavalcante (PSC), pode ter um desfecho interessante nas próximas semanas. Considerada uma terra de políticos diferenciados e sempre com um complexo processo de escolha, a começar pelos candidatos, Barra de São Francisco ficou vários anos abandonada, esquecida pelo governo Paulo Hartung, humilhada pelos deputados federais e senadores, que apenas se lembram de vir aqui buscar votos. Durante anos, vários benefícios foram para municípios como Nova Venécia, Ecoporanga, Água Doce do Norte e até Vila Pavão foi mais beneficiado do que o município francisquense.
Como se o povo não tivesse memória, vale relembrar que há pouco tempo e não faz tanto tempo assim, a folha de pagamento de funcionários da mesma Prefeitura disputada, ficaram tres meses sem receber salários e muitos funcionários estavam sem receber férias e 13º atrasado. O que se pergunta é como não se pagava tais folhas salariais já que os recursos continuavam entrando via repasses dos governos. Bastou um novo prefeito para que os servidores passassem a receber em dia, como num passe de mágica ou milagre.

Carlos Madureira texto/

Na verdade dinheiro tem mas é pouco. O malabarismo que é feito pela atual administração em manter o funcionalismo com o pagamento em dia, passa pelo atual Procurador Geral, Francisco Carlos Gomes que é considerado;linha dura. Se não fosse ele, Waldeles não estaria com o pagamento em dia devido as inúmeras dificuldades financeiras encontradas. Com o fim do FUNDAP a coisa poderá desandar e por mais quatro anos o povo amargar uma má escolha.
Fala-se tanto em composição eleitoral, de que este vai ser candidato a deputado federal enquanto esse vai ser candidato a prefeito. Dizem que o governador Renato Casagrande vai intervir no processo, quando na verdade ele lavou as mãos. Magoado por ver quando senador que o deputado Luciano Pereira deixou o seu partido (PSB), Casagrande poderia não apoiá-lo para prefeito já que trocou a legenda socialista pela democrata. Na verdade, tudo já está acertado e o que vai acontecer daqui pra frente é pano de fundo de uma encenação. Os simpatizantes, correligionários e apaixonados pela política, serão simplesmente conduzidos como ;bois em curral&. Eles seguirão um script que já estava pronto.
O que resta para os respeitáveis cidadãos que querem o desenvolvimento contínuo, a liberdade de expressão e o crescimento da região noroeste, é buscar alternativas. Bons nomes podem ser encontrados, mas primeiro é necessário se despir de vaidade, de orgulho e rancor. Alguns candidatos temem perder de goleada se não houver a composição certa. Na verdade nunca foi tão fácil ganhar as eleições francisquenses com nomes que nunca disputaram uma eleição. Falta coragem para lançar uma boa chapa. Falta vergonha para quem não quer largar o poder. O eleitor finge que é bobo mas sabe bem como extirpar o mal que vem disfarçado de bem. Ou Barra de São Francisco continua trilhando, mesmo com dificuldades, o caminho do crescimento, ou entrega de vez a chance de mudar em definitivo.