Um mosquito e três doenças: Equipe da Dengue alerta população a adotarem medidas contra as doenças causadas pelo mosquitos do aedes aegypti em Barra de São Francisco

Comente
CARRINHO-MALUCO
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n
12076887_913915161978736_406380031_n

Elas são transmitidas pelo mesmo mosquito e têm sintomas parecidos, mas não são iguais. Veja a diferença.

12076880_913915231978729_1211207591_nA prefeitura Municipal de Barra de São francisco, através da Vigilância epidemiológica  esta realizando um conjunto de ações e adotando  medidas de prevenção e controle dos mosquitos da Dengue, onde se não bastasse todo o caos e o medo que a dengue já espalha, o mosquito Aedes Aegypti também transmite outras duas doenças que já foram registradas no Brasil. Chikungunya e zika têm até alguns sintomas semelhantes, mas são diferentes inclusive nos sintomas.

 Para este conjunto de ações foi projetado um cronograma onde diversas intervenções estão sendo realizadas como a pulverização do fumacê e também a limpeza dos bueiros em diversos bairros do centro.

12248730_913915341978718_135280313_nA Secretaria Municipal de Saúde também  esta realizando nas escolas Municipais, diversas palestras,  orientando e pedindo a colaboração dos alunos principalmente agora no período de chuva evitando deixar água parada e caixas destampadas, alertando que o mosquito aedes aegypti também transmite além da dengue outras 2  graves doenças. Os alunos receberam junto com panfletos informativos um joguinho recreativo  alertando sobre as doenças transmitidas pelo mosquito.

Segundo a coordenadora do Comitê Científico de Medicina de Viagem da Sociedade Brasileira de Infectologia, Sylvia Lemos Hinrichsen, a maior preocupação no Brasil continua sendo a dengue, mas as outras doenças também merecem atenção.

“Elas podem até ser parecidas, mas não são iguais. É complicado até para nós, especialistas, detectar e diferenciar cada uma delas. Por isso, o ideal é pedir sorologia para saber com qual doença estamos lidando”, diz Sylvia, que também é especialista em gestão de riscos e controle de infecções.

 Casos de hemorragia são mais comuns em pacientes com dengue. Mas a chikungunya mata menos e só se pega uma vez. Já a zika aparece com erupções na pele (tipo alergias) e conjuntivite. Em todas elas, no entanto, o negócio é descansar e se hidratar. O infectologista Vladimir Neco, que já atendeu pacientes com zika, diz que o Aedes  está em todas as partes e isso só aumenta o risco de contaminação. “Tudo isso porque o mesmo mosquito transmite as três doenças”.Para o especialista do Hospital Albert Einstein, Jacyr Pasternack, o Aedes passa a transmitir essas doenças assim que entra em contato com a pessoa infectada. “Com a explosão de casos, é bom nos prepararmos pra lidar com esses novos tipos. Eles logo estarão entre nós”.

o zika vírus é muito menos agressivo que o vírus da dengue: não há registro de mortes relacionadas à doença. A evolução é benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente em um período de 3 até 7 dias.

O zika vírus foi identificado no Brasil pela primeira vez no final de abril por pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pertencente à mesma família dos vírus da dengue da febre amarela, o zika é endêmico de alguns países da África e do sudeste da Ásia. Veja perguntas e respostas sobre a doença:

Como ocorre a transmissão?
Assim como os vírus da dengue e do chikungunya, o zika também é transmitido pelo mosquitoAedes aegypti. A prevenção, portanto, segue as mesmas regras aplicadas a essas doenças. Evitar a água parada, que os mosquitos usam para se reproduzir, é a principal medida.

Quais são os sintomas?
Os principais sintomas da doença provocada pelo zika vírus são febre intermitente, erupções na pele, coceira e dor muscular. Segundo a infectologista Rosana Richtmann, a boa notícia é que

Como é o tratamento?
Não há vacina nem tratamento específico para a doença. Segundo informações do Ministério da Saúde, os casos devem ser tratados com o uso de paracetamol ou dipirona para controle da febre e da dor. Assim como na dengue, o uso de ácido acetilsalicílico (aspirina) deve ser evitado por causa do risco aumentado de hemorragias.

Afeta os olhos

Segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, a demora na busca por tratamento dessas doenças pode causar graves distúrbios oculares que nem sempre são percebidos. O risco é maior quando a pessoa é exposta a dois tipos diferentes do vírus. Isso porque pode causar hemorragia na retina, que é a camada de células nervosas que fica no fundo do olho e transmite as imagens para o cérebro.

 Por isso a recomendação é consultar um oftalmologista antes de completar sete dias do diagnóstico. “De todos os distúrbios oculares decorrentes da dengue, só a hemorragia subconjuntival altera o aspecto do olho, deixando a esclera (parte branca) congestionada de sangue”.
 Para Leôncio, em caso de dor nos olhos ou visão turva, a recomendação é consultar um oftalmologista imediatamente. “O cuidado deve ser ainda maior com as crianças, que estão mais vulneráveis”.

 

 

“ Buy cheap generic fluoxetine online without prescription” 8 Feb 2013 Prozac ( fluoxetine HCl ) 10 mg , 20 mg, and 40 mg capsules and Prozac ( fluoxetine 
tadalafil + dapoxetine 40mg/60mg dapoxetine 90mg reviews generic dapoxetine
generic advair diskus inhaler online pharmacy advair diskus order fluticasone

12311101_932419773478464_1231929020317032740_n
111 12227650_924401994280242_7856840745081785682_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *